Cinco regras de ouro para maximizar a conversão no e-commerce.

Você sabia que entre 50% e 70% das vendas do comércio eletrônico são perdidas durante o checkout? Observe bem esses números. O abandono do carrinho virtual é o equivalente, na vida real, a abandonar a fila do caixa quando o atendente diz “próximo, por favor”. É aquele momento em que o internauta adicionou algo ao carrinho e clicou em “finalizar compra”, mas algo “deu errado” e não concretizou.

Mas o que aconteceu para o consumidor repensar a decisão de compra depois que chegou à página de checkout? Vamos detalhar abaixo as principais razões pelas quais os visitantes abandonam seus carrinhos de compras e como pequenas alterações na página de checkout podem fazer a diferença nas taxas de conversão e aumentar as vendas online.

Por que quase três quartos dos consumidores online abandonam o carrinho?

Não há resposta universal para o motivo pelo qual os visitantes decidem abandonar uma venda online. Uma pesquisa com 1.044 consumidores online realizada pelo Baymard Institute fornece informações valiosas sobre algumas das razões pelas quais os clientes podem optar por deixar o processo de compra no checkout. Os principais motivos incluem:

  • Custos extras muito altos (61%)
  • O site queria que eu criasse uma conta (35%)
  • Processo de checkout muito longo/complicado (27%)
  • Eu não consegui ver/calcular o custo total do pedido antecipadamente (24%)
  • Website teve erros/caiu (22%)
  • Eu não confiei no site com as informações do meu cartão de crédito (18%)

A boa notícia é que há ações que os varejistas podem executar para resolver muitas dessas preocupações, ajudando a maximizar a conversão e minimizar o abandono da compra no momento do checkout. Vamos analisar as cinco regras de ouro para maximizar a conversão no e-commerce.

  1. Oferecer um checkout de convidado

É comum que as lojas online queiram que os clientes tenham contas registradas nos seus estabelecimentos. Isso significa lealdade e simplifica as compras repetidas, certo? Bem, não é bem assim. Na pesquisa mencionada acima, 35% dos clientes abandonaram os checkouts simplesmente porque lhes foram solicitados a criação de uma conta para concluir a compra.

Para resolver esse problema, os sites podem oferecer uma opção de checkout de convidado, com uma opção adicional para fazer login, se preferir. Consumidores online tendem a associar um checkout com velocidade e simplicidade, o que pode ajudar a aumentar as taxas de conversão. Uma opção pode ser adicionada para criar uma conta quando a compra é finalizada, mas a prioridade deve ser sempre facilitar o processo para o cliente.

  1. Simplifique o processo de checkout

Reduzir o processo de checkout para o número mínimo de etapas é crucial para a conversão. Recomenda-se um máximo de três etapas antes que o botão da compra final seja clicado.

Também é vital mostrar ao cliente o número de etapas necessárias para finalizar a compra com antecedência. Cada checkout precisa de um ponto final visual para manter o comprador focado. Isso pode ser feito com um simples indicador de progresso gráfico mostrando etapas simples e visíveis até a conclusão.

35% dos clientes abandonam os checkout, simplesmente porque eles precisam criar uma conta para concluir a compra.

  1. Demonstrar que é um site confiável

Consumidores online são bastante cautelosos ao passar detalhes de pagamento para os sites. Afinal, eles precisam confiar que as medidas de segurança estão em vigor para proteger seus dados confidenciais de pagamento. Transmitir confiança é mais fácil para grandes multinacionais, pois os clientes tendem a supor que as medidas de segurança online já estão em vigor.

No entanto, sites de marcas menos conhecidas precisam provar visualmente que o site é seguro. Uma maneira de fazer isso é exibir medidas de segurança, como a certificação SSL. Isso criará uma barra de endereços da web na cor verde no canto superior esquerdo do navegador com um cadeado e as letras “HTTPS” para comunicar que o site é seguro e criptografado.

Outra maneira de passar confiança é exibir os logotipos de segurança e de cartão de crédito em todo o site – não apenas na página de pagamento – e garantir que a identidade da marca seja consistente. Isso é especialmente relevante, se o site redirecionar para uma página de pagamento hospedada por terceiros.

  1. Pense primeiro em dispositivos móveis

StatCounter Global Stats descobriu que os dispositivos móveis representavam 51,3% do acesso mundial à Internet, em comparação com 48,7% no desktop, isso lá em 2016. No entanto, as conversões de e-commerce para celular ainda ficam atrás das conversões em desktop. O site deve ser criado primeiramente para ser utilizado em dispositivos móveis, o chamado “mobile first”, observando desde a experiência de navegação até a página de checkout. Além do ajuste ideal da tela, as lojas virtuais devem considerar o formulário de pagamento e a adaptação instantânea aos teclados alfabéticos versus numéricos, com base nas informações necessárias. Todos os elementos da experiência de compra devem ser otimizados para dispositivos móveis para maximizar as taxas de conversão.

  1. Lidar com erros em tempo real

Às vezes não é o que você diz, é como você diz – e este é definitivamente o caso para comunicar que um erro foi cometido no formulário de checkout. Todo mundo comete erros. Os consumidores podem digitar o nome no campo do número do cartão de crédito ou o mês de nascimento na data de vencimento do mesmo.

A solução é criar mensagens de erro instantâneas que sejam amigáveis e breves, mas informativas. Pode ser prejudicial esperar até que o usuário clique em enviar para destacar um erro. Eles devem receber um erro instantaneamente e fornecer uma correção simples – de maneira amigável.

Essas cinco regras servem como um ótimo começo na criação de uma experiência de checkout perfeita que incentivará o retorno ao seu site para futuras compras. Com a ajuda do Google Analytics, os varejistas podem medir o impacto de cada implementação nas taxas de conversão online e, por fim, gerar vendas.

FONTE: e-commercebrasil

AUTORA: Sarah McCluskey